E a bola continuou quicando no misterioso território do strap on! Vamos falar sobre isso.

Primeiro eu detesto o termo “inversão”. Eu odeio do fundo do meu coração. Sabe a impressão que me dá? Que sempre foi papel da mulher estar de quatro na frente do homem. E que eventualmente movidos por muito tesão, aceitam “inverter” essa ordem. Faz favor, né?

Agora, ok, você quer ser uma femeazinha com todos os esteriótipos da humanidade. Bóra. Eu amo. : )

Eventualmente, posso fazer um macho doidão. Tem um “Pedrão dentro de mim. Acreditem.

Mas não chama de inversão. Fala assim ó: “Quero ser tua mulher hoje, totalmente gata selvagem” ou “deixa eu ser tua menininha?”

Ai é problema seu. Eu como se der vontade. Se for mesmo uma gata selvagem, rs…

Assim como você quer permanecer homem depois da experiência, eu desejo permanecer mulher, não só depois, mas antes e durante também. Exceto ali na fantasia EVENTUAL do Pedrão.

Isso se chama “FEMINIZAÇÃO”. Podia ser DOG PLAY (colocava a fantasia de cachorrinho), podia ser PIG PLAY, CAVALO PLAY, FOCAS AMESTRADAS PLAY… Não importa! É só uma fantasia. Podia até ser BONDAGE. Porque eu acho que estar feminizado, com salto alto, calcinha fio dental, roupa curta ou lá o que se imaginou, obriga a uma postura mais contida. Andar é complicado. Movimentos bruscos deixam tudo à mostra. Mas eu escolho FEMINIZAÇÃO.

FEMINIZAÇÃO implica em STRAP ON?

Não acha um pouco demais determinar todo o nosso roteiro? Vista essa roupinha e apenas me siga obediente! Isso é o que você tem que fazer.

E confiar que se eu  desejar te ter, o farei com cautela. Eu gosto de comer devagarinho para ser bruta aos pouquinhos.

Pode ser que eu não queira te comer. Pode ser. Pode ser que eu queira e você não queira.
Ai, Senhora, devagar! Sou virgem! Humm… Quantas delícias me esperam? Tem que valer a pena. Demais. Adoro um virgenzinho (com mais de 25, please!)

Claro que isso é só depois que você já tenha muita intimidade comigo. Vai chegar falando coisinhas no meu zap que eu te bloqueio até o fim da humanidade.

E se falar inversão também bloqueio.

Não tem nada invertido aqui. Tem feminização que pode ou não ter strap on. Que pode ou não ter o Pedrão.

Podemos dizer que estamos invertendo o poder. Ok. A gente chama de “TROCA DE PODER”. Mas você gosta de falar “inversão”? Ok. Eu entendo, mas daí não implica em feminização, nem strap on.

Posso entender no máximo e com ressalvas que você quer ser meu. Que quer me servir. Que quer me oferecer qualquer poder que tenha sobre si. A meus pés. Para sempre.

Nem toda feminização implica em stra pon, mas todo strap on, PARA MIM, tem doses cavalares de feminização. É um dos meus maiores fetiches. Com certeza.

E eu tenho muito tesão de comer. Muito.

Mas eu preciso que seja MEU. MINHA coisa. MINHA cadela. MINHA fêmea. MINHA bonequinha. MEU corninho.

Importa que me pertença. Que esteja disposto.

Isto posto, em frente:

Primeiro, eu amo usar as mãos (com luvas de látex, obviamente). Eu amo o escravo pedindo, mas sem falsete! Tem que pedir pra valer. Querer querendo mesmo. Por isso que vou devagarinho. Gosto que gostem.

Também amo que esteja totalmente sem pelos. E uma bela lingerie. (EU CURTO. NÃO ESQUEÇA: ISSO É SOBRE O QUE EU CURTO!).

Naquele momento me sinto invadindo o outro. Invadindo seu corpo e destruindo suas defesas. Aqueles paradigmas ancestrais sobre seu buraquinho (Que agora é meu!)

Gosto da posição de franguinho também. De quatro é uma coisa. Passa mais a coisa de estar totalmente disponível que é um tesão. De franguinho já é, aff!, a melhor de todas.
Olhando pra mim. E gostando. E adorando.

Acho lindo.

Então, dá pra fazer com uma prótese que você vai aumentando depois de cada período. Vou vendo o que sujeito aguenta e aumentando o tamanho, aumenta o meu prazer também. Porque o barato é preencher, tomar, arrombar.

Dá pra fazer com as mãos e amo fisting.

Já as cintas são um problema para mim. 8028Na loja eu vendo esse modelo aqui. E você precisa escolher na loja mesmo qual a prótese que quer adaptar. Observe que ela tem que ter base. Da mesma forma que os plugs.

Essa da foto é para uma prótese média. Largura até mais ou menos 5 cm. Acima disso fazemos sob encomenda, mas daí eu não recomendo mesmo. Porque as próteses ficam pesadas demais para as cintas e não ficam legais.

Alguns que eu gosto de recomendar: 

9085

Veja: tem a base. Tem uma posição bacana para a cinta e tem vibrador-fio. Eu gosto de vibração, mas tem ele também sem vibro. Bem, esse para iniciantes.

É bem delicado mesmo!

Eu sempre começo com esse. Depois vou aumentando. Geralmente deixo o próprio escravo escolher o tamanho em cada nova etapa.

Também tem cintas para próteses bem finas ou plugs de até 2,5 cm, tem cintas duplas. Tem vários tipos de cinta. Veja aqui. Importante é que tenha essa base.
9176

Eu não gosto e não recomendo para esse uso, ele assim ó… Porque essa base onde vai o vibro, machuca quem estiver usando a cinta. Então mesmo tendo a base não é o mais indicado.

Tem muitas opções no site. Vá aqui e veja vários modelos de prótese que podem ser usados para esse fim.
9110
Eu também gosto de usar as próteses duplas. Porque, como já disse, eu odeio cinta. Então eu uso alguns como esse aí ao lado.

Pode usar com ou sem a cinta. E tem também vários tamanhos. Dai eu me penetro com a extremidade mais fina e com a outra extremidade penetro o outro ou a outra. Não dá uma super firmeza porque ele escorrega, ainda assim acho melhor que ter que usar cinta.

E, claro, tem ainda o fofíssimo Due Angelo (Sinto. Eu amo e nem é o meu número! rs) que não precisa de cinta nenhuma! E ele sim encaixa bem direitinho com liberdade de movimentos. Que eu falei aqui e que você vê no site aqui.

*  Texto patrocinado por Rafael
Veja aqui como ser um patrocinador e ajude a Rainha a construir sua Masmorra.
: )

 

 

Anúncios