Ai, a Rainha Frágil desde que começou a cobrar pelos textos anda só querendo falar sobre isso. Bah, já sei de cor todos esses mimimis!

Mas, errou!  Cobro por serviços há muitos anos. E  recebo patrocínio também.

Para!

Pensa o seguinte: algumas pessoas têm prazer em pagar, entende? Por milhões de motivos. Uns sim para ter poder , outros por entender que é uma grande humilhação pagar para uma mulher lhe açoitar. Não tem explicação. Fetiche é fetiche e é que nem sanduíche.

Porém, sim, há muita irresponsabilidade e muito jogo que acaba doloroso , num contrato, mesmo que apenas verbal cheio de cláusulas leoninas.

Focando apenas a prática em si, é jogo e todo jogo tem regras e algumas coisas precisam ficar claras. Vou usar os termos Top e bottom, porque não precisa ser uma D/s. Pode ser um relacionamento pontual ou mesmo estar dentro de um relacionamento baunilha.

Então precisa ficar claro:

Há um teto mensal ou semanal, com o qual se pode brincar sem comprometer a renda pessoal do bottom? Esse teto está claro para ambos?

A Top pode pedir resgate em espécie ou produto , a qualquer momento, respeitando sempre esse teto?

Ficou claro que os valores ou presentes que o bottom oferece não compram a Top?
Que a Top não se compromete a nada? Que ela é livre para dispor dentro dos limites estabelecidos? E que  NADA será devolvido exceto por vontade e liberalismo da Top?

Agora…

Muitas mulheres escrevem dizendo que não sabem lidar com isso. Não se sentem à vontade para receber mas a ideia as atrai e gostam de seus parceiros que têm esse fetiche.

Não importa qual o formato da sua relação, tem que ter regras. E regras muito claras.

E receber é super fácil e gostoso.

Receba sempre como um presente.
E use como um presente.

Não se deixe comprar.

É presente. Presente você vai pra uma confeitaria e come o doce mais gostoso e mais caro da loja. Presente pra você comprar aquela bota que está sonhando há meses.

Não fique dependente desses presentes. Não use para pagar o aluguel, por exemplo.
É um presente.

A única coisa diferente de ganhar um presente é que ganhar um presente implica gratidão. Não! Aqui é um jogo, uma prática. Você só tem que receber. Como recebe a água embaixo do chuveiro, como recebe o sol na praia. Não precisa dar nada em troca. Nada.

Seja absolutamente sincera sobre o que achou do presente.
E dê recompensas ou punições conforme seus sentimentos de satisfação ou insatisfação.

Você vai descobrindo devagar quais botões precisa apertar para fazer funcionar da maneira mais gostosa possível. Aí cada um é um.

Peça coisas difíceis de encontrar, peça coisas belas, livros. É presente.

A qualidade do relacionamento não deve ser baseado nos valores que estão colocados no jogo, estabeleça um mínimo para achar que vale a pena entrar no jogo. Se ele pode, ok. Se não, paciência.  De novo, todo mundo agora: é jogo e todo jogo tem regras!

Também precisa ficar claro que o bottom pode parar o jogo quando bem entender sem nenhum aviso prévio. Azar o seu se contou com isso para pagar o aluguel. Dançou!

Por isso que é um presente. Se o sujeito parar de mandar, ok, o jogo acaba e tá de boas. Sem queixumes.

É assim, você há anos sonha comprar um tapete legal pra sala (eu sonho), você tá fo-di-da, cheia de conta pra pagar, foda-se!, vai lá e compra o tapete legal pra sala. Ou manda ele comprar pra não cair na tentação de colocar o valor no seu orçamento.

Muita responsabilidade. Se o cara estiver apaixonado, dando saltos exagerados no teto, desconfie. Os valores só se modificam em novas negociações.

Como sempre vou lembrar: é o que eu penso. São regras que eu uso e acho que funcionam.
É um jeito prazeroso e divertido de jogar.

Espero ter sanado mais algumas dúvidas!!

Anúncios