Estava conversando com um candidato a escravo e de repente me dei conta de que não quero realmente um novo escravo agora. Estou conversando muito antes de aceitar. Não sou assim. Sou bem mais impulsiva. Gosto de já me atirar mesmo, ver logo se dá certo , se não dá, tchau.

Mas a verdade é que tenho me ferido. E não é pra ser assim. Se eu gostasse de dor eu ia ser masoquista, né? Porque eu sei que tem quem tire prazer mesmo dessa dor. Eu não. Eu quero viver de coração livre. Não quero arrastar fantasmas e menos ainda guardá-los no armário.

Agora que me encontro novamente esvaziada e leve, quero abrir portas e janelas. Porque eu gosto de acordar com o sol batendo na minha cara. Nossa, eu já acordo feliz!! E a verdade é que ando com saudade de mim.

Agora realmente eu vou dar um tempo até estar com outro escravo.  Descansar a mente e o coração.

Enquanto isso eu e Roger estamos super felizes. Estamos brincando mais. Meu ninho. Um lugar cheio de paz e harmonia para voltar. Sempre meu. Sempre a minha espera.

Outro dia conversávamos sobre o amor no nosso grupo e a Leísa disse no meio da conversa que  amor é paz e harmonia. Fiquei fã, rs.  Porque é isso. Eu tenho paz e harmonia aqui. Não tem porque eu ficar triste, ansiosa…  Falta do que pensar? Do que sentir?

Fez todo o sentido pra mim lembrar minha mãe pedindo um saco de paz no seu aniversário. Quando um escravo perguntar o que espero dele vou dizer isso: me traga um saco de paz!!

Isso não,  que eu tenho sempre a cabeça a mil. Projetos. Quero fazer coisas bacanas. Melhorar o blog, por exemplo.

Em Março irei ao Paraná e vou encontrar Aline. Vou para estar com meu filho mas vamos arranjar um jeito de pelo menos um abraço. Me fará muito bem. Um amor pra sempre, a Aline.  Ela também está com saudade. Será lindo!

: )

Anúncios