Tenho boas novas: agora você pode acessar o site apenas digitando fragilreino.com !!

Yes!! Finalmente tenho o domínio. Mais prático e bem, estou cheia de projetos. Um deles é transformar este blog em um grande portal. Vai acontecer algum dia.

Não agora.

Mas vai acontecer.

Tenho vontade de me juntar toda aqui. São trocentos blogs espalhados pela blogosfera.  Muitos textos que muitas vezes eu quase não reconheço. Perdidos mesmo por ai.

E desde que definitivamente estarei aqui sempre,  melhor estar organizada.

Sinto-me um pouco porto seguro para quem caminha por estas bandas, o lado B do mundo.  A maioria de nós vive uma vida BDSM como um lado fake, totalmente isolado das relações sociais e eu tenho o privilégio de poder me expor.

Não é lá uma posição muito confortável essa de esperar sempre, e confesso,  não a teria escolhido. Gostaria de ir embora também algumas vezes. Mas foi  acontecendo assim ao longo destes anos ocupando os espaços BDSM,  escrevendo blogs, montando aqui e acolá comunidades. Aconteceu que fui ficando.

Por mais que às vezes  permanecer me cause certo cansaço, penso sobre como todos nós somos raros e especiais uns para os outros.

Às vezes meu coração fica apertado. Vira e mexe penso em alguém de quem gostaria de saber notícias. Se soubessem como eu sinto mesmo, deixariam às vezes um bilhetinho na minha porta…

Mas vou levando tudo comigo, tudo ai nas histórias que conto no blog, nos meus devaneios, reflexões… .  Sempre estão presentes aqui pessoas que passaram por mim. Algumas que feri, outras que me feriram. Algumas que foram presença linda na minha vida e  outras que… Ah, outras de quem só  na volta vou lembrar.

Por falar em voltar…  Vivi esteve novamente comigo esses dias. Depois de mais de 10 anos. E me perguntou se eu escreveria sobre ela no blog.

Vivi… Vivi… Ok!  Você está aqui novamente. Seja bem vinda!!

Sonho da Vivi é comer meu coco. Bem que eu tentei dessa vez mas definitivamente não deu. Fiz mesmo força mas foi em vão.  Mesmo sabendo que seria sua maior alegria. Eu lhe daria sim esse presente mas certas amarras levamos para a vida. Ainda mais eu que sofri com intestino preso até quase a fase adulta. Há barreiras que não quebramos nunca. Eis ai um dos meus claros limites.

Há um relato bem antigo de Vivi aqui . O post foi feito em 2008 mas a história ainda é mais antiga.

São muitas histórias que já vivi com tantos escravos diferentes. Em quantos universos toquei. E penso no tempo que levou inclusive as lembranças. E também no quanto cada um é mesmo único.

Não seria possível catalogá-los com anotações sobre como agir em cada momento… Talvez eu pudesse enumerar as práticas mais adequadas para cada um , mesmo assim isso também vai mudando. Vivi adorou a experiência de ser forçada a chupar o pau do roger, anos atrás, mas tinha pavor da ideia de dar pra mim.

Dessa vez deixou e agora já acena para novas tentativas. Hum rum. Tudo pode ser mudado o tempo todo.

Lembro muito do Vladimir quando começou a andar por aqui. Três tapas e pedia a palavra de segurança… Ao fim de alguns anos, nossa, foi o escravo mais forte que tive. De todos, com certeza, campeão.

Sinto falta dele. Da força dele. O que ele suportava era fantástico. E sinto falta mais ainda de não ter notícia alguma. Exatamente sobre isso que eu falava!!

Tá vendo quanto me pesa?!!

Anúncios