1101656251_fComo eu “viro” Dominadora?
Quando leio isso imagino alguém tentando “virar” gay e não posso deixar de rir.

É mais ou menos o mesmo processo. Você pode vestir umas roupinhas de vinil, frequentar uns lugares  quentes, aprender alguns jargões e treinar com seu parceiro.  Talvez na internet você até encontre algum manual básico para uma sessão inicial. Talvez…

Isso para você brincar algumas vezes pode até dar certo.
Você decora um roteiro, usa a roupa certa e pode até ser excitante.

Mas… Isto seria mesmo brincar e não exatamente ser uma Rainha, Dominadora ou Sádica. Você pode “estar “Rainha e você pode tomar gosto a partir daí. Mas para “ser”, saiba:  é preciso sim um pouco mais.

Claro que você não precisa andar pelos mesmos infernos que eu andei. Hoje é tudo mais fácil e até o inferno já deve ter placas indicando a melhor direção a cada momento. Que bom!

Foi mais complicado pra mim. Foram muitos anos de busca. De tentar compreender a inquietação que eu sentia, a sensação de estar sempre incompleta, tentando descobrir como tirar prazer das relações baunilha. Acompanhava-me sempre a sensação de me faltar algum conhecimento essencial que as outras mulheres pareciam nascer sabendo.

Eu tentava fazer a coisa certa, eu até casava. Mas logo a convivência  se tornava um fardo que eu fantasiava como sina de mulher. Eu estudava um prazer contido como fazem  os psicopatas tentando imitar emoções que não sentem. Porque é mesmo muito complicado quando você não sente da mesma maneira que o senso comum.

Eu já tinha trinta e poucos anos, e 5 casamentos desfeitos quando
entrei pela primeira vez em uma sala onde se falava sobre isso.

É por isso que eu entendo que o desejo específico por estes jogos não tem muito como ser construído. Ele tem que estar dentro de você. Não se sabe onde começa, se trazemos conosco no DNA ou se são impressões que vão nos ficando desde a infância. Não sei muito como funciona e acho que vai demorar muito tempo para que estudiosos  se debrucem sobre este tema. Afinal, nem a homossexualidade foi explicada direito ainda.

O que sei de mim é que ainda brincava com bonecas quando senti pela primeira vez o despertar destes desejos tão incomuns. E que não lembro de ter “virado” domme em algumn momento. Apenas tratei de buscar o que me dava prazer e amadureci junto com os meus desejos.

Você pode despertar mais tarde, já na fase adulta, com um parceiro, por exemplo que te instigue. Importante mesmo é que haja o desejo de Dominar para não ser uma relação carregada de falsetes que logo se revelam superficiais. O problema é se divertir e não carregar fardo. (como quando eu estava no lugar errado!, né?)

E daí…

Desde que você sinta prazer verdadeiro nos jogos, ninguém pode julgar se você é ou não é Dominadora. Suas roupas não farão diferenças e aquele manual com os jargões é desnecessário.

Depois de se descobrir, o que você precisa é estudar as técnicas que mais a encantam. Há vasto material na internet. Busque grupos na sua cidade. Eu recomendo começar lendo contos, ver o que mais mexe com você e depois sair pesquisando.

E depois….

Divirta-se!!

Meu e-mail sempre à disposição.

Anúncios