Recadinhos: em breve estarei postando os contos da saga Diário de um Sissy, que Lizziesub generosamente me autorizou a compartilhar.  Quem gosta de feminização vai amar!

Se eu fosse poeta o tema de hoje seria uma poesia…
Ando assim pensativa e poética.

Tema de hoje:
 “Mão fria, coração quente”

Encontrei esse dito em um jogo de palavras cruzadas. E fiquei pensando que precisava falar sobre isso. Sobre como meu coração é quente apesar dos gestos frios. Eu acho que gozo com o coração.

Em alguns momentos fico tão feliz e emocionada que acontece mais do que um orgasmo. Muitos orgasmos. Uma explosão!
As vezes eu sinto ondas suaves percorrendo meu corpo e o do meu escravo.  Um homem que me ama e que eu amo também. Tanto, tanto…

E de tanto amar, preciso ferir…

Como aquela frase que já postei milhões de vezes do filme “Pergunte ao Pó” :
“Por quê eu te machucaria? Eu não te amo!”

Eu sinto assim. Essa desejo que vem de dominar é a violência de quanto amo.
O amor que deixa marcas. Amor sadomasoquista.

Desprezo quem me ama.
Porque é assim que eu me sinto livre para me deixar amar.
Inteira. Viva. Altiva.

Eu amo o amor do meu escravo e acho lindo seu sorriso de olhos marejados.

E tanto mais lhe quero todo o bem do mundo,  mais desejo marcá-lo.
Tocar feridas, virar do avesso.

Ferindo e acolhendo.
Eternamente.

Mão fria, coração quente.

Anúncios