Eu tenho convidado algumas pessoas que vivem estilos diferentes de relacionamento BDSM.  Convidei o Galba, que é Daddy,  para falar sobre seu relacionamento AgePlay.

E ele foi extremamente generoso.  Contou tudo com uma transparência deliciosa, como conheceu sua atual companheira, momentos de insegurança, alegrias, orgasmos, tudo !!

Espero que gostem como eu gostei.

 galba2

                                        Todas as cores de um relacionamento Age Play.
por Galba Duarte

Como tudo começou?

Começou praticamente há 4 anos atrás,uma amiga submissa que mora no interior de São Paulo me perguntou se eu conhecia BDSM. Eu falei que nunca tinha ouvido falar e ela me pediu para pesquisar porque ela achava que eu tinha jeito pra ser um dominador.

Eu comecei a estudar e pesquisar sobre o assunto e me interessei, percebi que era aquilo que faltava em minha vida, foi como mágica. Na época estava em um relacionamento baunilha mas achava que estava vivendo uma grande ilusão e não queria levar adiante.

Eu sempre fui muito dedicado e reservado, nunca fui de me atirar pra encontra uma submissa. Tinha um fake no facebook e ficou fácil procurar algo sobre BDSM e conhecer pessoas.

Conheci poucas pessoas, mas pessoas que me ajudaram muito a conhecer mais sobre o BDSM me explicando como funcionava. Eu fui estudando cada dia mais e me envolvendo com esse universo incrível.

Agora vai entrar a melhor parte.galba1

Foi quando eu conheci um garota que por ser nova se mostrava madura e cheia de idéias… Pensei: Essa menina tem futuro.

Nos conhecemos em um app que não tem nada a ver  com onde a maioria dos casais se conhece.  Nos conhecemos no app do WATTPAD, um aplicativo de livros, aonde ela tinha começado a escrever uma biografia sobre a vida dela. Eu li. Achei encantador e excitante como ela narrava a sua história.

Eu comecei a seguir ela nessa app no dia 23/06/2015. Ela ela veio agradecer por eu ter começado a seguir e começamos a conversar eu achei ela incrível sempre foi verdadeira comigo e eu com ela. Falávamos sobre tudo.

Eu perguntei se ela conhecia BDSM, ela falou que conhecia sim e que achava muito interessante. Eu lhe disse que tinha um fake BDSM.
Ela ficou curiosa e perguntou o nome que naquela época era Sandro Lima.
Ela disse que tinha um relacionamento baunilha e que não estava muito bem,eu falei que também tinha um relacionamento baunilha e perguntei se não tinha problema conversarmos.

Disse que não havia problema e depois fez um fake pra conversar melhor.

Logo eu mandei o meu número de telefone pra ela,foi a primeira menina que eu mandei meu número, porque eu não confiava de mandar meu número pra ninguém .
Ela ganhou a minha total confiança e logo comecei a ligar pra ela. E tudo foi fluindo e desde de então BDSM  estaria sempre em nossas conversas.

Começamos uma D/s mas não conseguimos fluir. Por mais mas que nos esforçassemos sempre algo  não dava certo.

Por medo,  por ter um relacionamento, ela achava que nunca íamos sair do virtual e assim terminamos nossa D/s, mas nunca deixamos de nos falar.  Eu sempre me preocupei com ela, sempre quis ela pra ser minha menina e nunca desisti de lutar por mas que fosse difícil.

Eu sentia falta das nossas sessões, momentos em que ouvia ela se batendo… Ficava excitado.

Meu relacionamento baunilha não estava muito legal, chato e na rotineiro. Terminei e resolvi voltar para a casa da minha mãe no final de novembro de 2015. A primeira pessoa para quem  falei que estava terminando o meu relacionamento,  foi justamente ela. Ela não entendeu aquilo direito mas retomamos nossa relação D/s mas agora já voltada AgePlay.

Começamos a pesquisar e estudar juntos e começou tudo a fluir. Era aquilo que estava faltando!

Em junho de 2016 fui conhecê-la pessoalmente e foi uma loucura a coisa mais incrível que já me aconteceu. Fui até São Paulo em um dia e voltei no outro.

Quando a vi pela primeira vez parecia que já nos conhecíamos. Nos abraçamos e eu disse olhando bem nos olhos dela que era a Baby mais linda do mundo.

Ficamos por algumas horas conversando e eu levei uns presentes pra ela:  uma chupeta,um fone de ouvido e um chaveiro. Ela não queria aceitar mas no fim recebeu.

galba4

Deixei ela perto da estação aonde eu estava hospedado e chegando no hotel fui tomar um banho. Precisava de uma boa gozada e não pensei 2 vezes, já que não pude levá-la para o hotel por motivos pessoais.

Em agosto de 2016 ela veio passar 4 dias aqui em fortaleza e foram os melhores 4 dias de minha vida. Pela primeira vez estávamos em nosso momento para realizar tudo o que sonhamos até aquele dia.

Antes de encontrá-la no hotel passei em uma farmácia e comprei mamadeira e chupetas. Passei em um supermercado comprei nescau, leite, salgadinhos, doces, chocolates, pirulitos e um livro.

Quando cheguei no hotel aonde ela estava hospedada foi incrível quando ela abriu a porta estava linda parecia uma princesa,ela me olhou quase chorando de felicidade se abraçamos e beijamos, e de repente ela ficou paralisada só me olhava,dai passou pela a minha cabeça agora é minha vez de agir.

Comecei a deixar ela louca com minhas mãos invadindo as partes íntimas dela,quase rasguei a roupa dela e enfiei os meus dedos na coisinha dela e estava encharcada. Olhei para ela e perguntei se estava tudo bem. Ela sorriu. Levei-a para a cama e comecei a chupar e morder seus mamilos, enquanto brincava com sua coisinha molhada, e ela implorava para eu entrar logo dentro dela.

Peguei uma pastilha halls preta, coloquei na boca e comecei a chupá-la novamento. Ela muito molhada…

Chupei toda pastilha,só parei quando não tinha mais nada em minha boca e depois a beijei longamente.

Sai de cima dela fui até a minha mochila aonde tinha uma latinha de vick abrir sua pernas comecei e a chupar sua boceta novamente passei o vick bem no fundo da sua boceta e seu corpo começou a tremer e ter orgasmos sem parar.

Ela me implorou pra que eu metesse logo o meu pau pois seu corpo não parava de tremer sua carne era incrível parecia que estava tendo vários orgasmos. Sempre que eu parava sentia suas unhas cravadas em minhas costas.

Gozamos juntos várias vezes e foi uma foda incrível.

Resumindo todos os dias foram intensos,cheios de surpresas! Cuidei dela, dei banho, fiz mamadeira e colocava ela pra dormir todos dias. Depois que ela dormia eu ficava um bom tempo dando carinho, olhando como ela é linda.

Saímos pra comer e conhecer minha família e a cidade. Ficou encantada com tudo.

No último dia antes dela voltar pra São Paulo fizemos nossa primeira sessão. Nesse momento tudo ficou parado. Não existia nada no mundo além de nós dois. Foi incrível e inesquecível. Como tirar a virgindade, alguma coisa que você não esquece nunca mais

A nossa sessão foi um spanking  muito cheio de carinho, toques, pirulito, excitação, gozos e marcas.

A hora mais difícil foi quando ela saiu pra pegar o taxi.  Despedida sempre acaba com o coração da gente mas seríamos fortes para superar a saudade e os momentos difíceis  que viriam.

Queremos ficar juntos. Sem pausas, sem separações.

Mas afinal,o que é Ageplay?

Ageplay é um jogo de idades,onde as pessoas envolvidas podem interpretar idades diferente das suas.  Podem ser bebês de bebês e em alguns casos até idosos.

O mais comum é o bottom assumir uma idade menor. Pode ser adolescente, criança ou bebê. Ele pode ser praticado de várias formas sendo o mais comum Dd/Lg ( DaddyDom,Littlegirl) e suas variantes : Mommy Domme, Littleboy e Mommy Domme littlegirl.

O bottom Ageplayer geralmente é caracterizado pela idade que interpreta:

Baby(Abdl): de 0 a 2 anos,geralmente envolve regressão, é comum que usem mamadeira,chupeta,berço,fraldas.

Littlegirl: de 2 a 10 anos é um bottom que age de acordo com essa idade,geralmente são obedientes e sensíveis.Gostam de chupeta,mamadeira,desenhos,livros de colorir e brincar.

Middle/Teen: de 10 a 17 costumam a agir de acordo com essa idade,geralmente são desobedientes e rebeldes é comum ser associados aos brats.

*Obs:*Lolita,Princess e ninfeta São só um variante dos citados acima,geralmente são um tipo de Middle que se interessa por homens mais velhos, são mimadas e gostam de provocar.

A rotina de um bottom Ageplayer é muito importante, cuidados como alimentação, hora de dormir e tarefas não podem faltar. Afinal,  no jogo o botton não sabe se cuidar e precisa de quem cuide dele/dela.

O Daddy/papai tem o papel de educar, cuidar, proteger, ensinar e punir,  quando necessário.

A diferença desse relacionamento para uma D/s comum é que o Daddy atua em praticamente todas as áreas pessoais do bottom, tornando uma dependência mútua devido ao forte laço construído entre os dois.

Castigo e Punição: São fatores necessários para formação do sub-age, como disciplina e para o bem estar do relacionamento, o bottom nesse tipo de relação nunca pode ser punido sem nenhuma razão.

Contrato e Regras: O contrato é parecido com o de uma D/s, mas existem cláusulas específicas como estabelecer um horário pra dormir, comer, a quantidade de doces por semana,tarefas e etc…

Ageplay e Pedofilia

Muitos são o que ainda tem preconceito com esse tipo de relação,dizem que é “Pedofilia”
Mas vamos lá, O que é Pedofilia?

Significado de Pedofilia
1 Atração sexual de um adulto por crianças.

O submisso ageplayer é uma criança? NÃO. O submisso ageplayer é um adulto que se comporta como uma criança em determinadas ocasiões.

Ainda acha que Ageplay é uma apologia à pedofilia? Me responda, então: Petplay faz apologia à zoofilia? Sadismo faz apologia à psicopatia?

Se você respondeu “sim” a alguma dessas perguntas, volte pra alfabetização.

Gostou? Quer mais informações, trocar ideias?
Converse com o Galba e sua princesinha no facebook ou acompanhe pelo Instagran

Anúncios