Benjamim (Selton Mello) trabalha no Circo Esperança junto com seu pai Valdemar (Paulo José). Juntos, eles formam a dupla de palhaços Pangaré & Puro Sangue e fazem a alegria da plateia. Mas a vida anda sem graça para Benjamin, que passa por uma crise existencial e assim, volta e meia, pensa em abandonar Lola (Giselle Mota), a mulher que cospe fogo, os irmãos Lorotta (Álamo Facó e Hossen Minussi), Dona Zaira (Teuda Bara) e o resto dos amigos da trupe. Seu pai e amigos lamentam o que está acontecendo com o companheiro, mas entendem que ele precisa encontrar seu caminho por conta própria.  Fonte: Adoro Cinema

O Palhaço (2011) foi um dos filmes mais encantadores que já assisti. Encanta pela direção sensível do Selton Mello, a presença sempre iluminada do ator Paulo José, fotografia, som, tudo perfeito.

Mas além de ser tudo isso poderia também se chamar “A Fábulado Empreendedor”.
São tanto “benjamins” neste nosso imenso Brasil varonil!

Quando vi pela primeira vez no cinema, minha empresa passava por dificuldades então eu fui sendo a sombra do Benjamin. Compartilhei suas angústias e suas alegrias porque o sentir dele, seus pesares, suas dúvidas, eram também o meu sentir.

Ele tinha que administrar uma empresa com todos os seus problemas e ao mesmo tempo ser a luz dessa empresa. Transmitir sempre otimismo, para o cliente e para a truppe. Todo dia fazer acontecer um bonito espetáculo. O show não pode parar. Nunca.

Quando você ama o que faz, você pode dar voltas no mundo, pensar mil rotas de fuga… Mas você sempre vai voltar. Se você é o tipo que coloca a alma em tudo o que faz vai querer lutar sempre.

Se você tem uma empresa você sabe do que estou falando. Se não tem, leia com atenção. Guarde essa fábula no coração. Todos os dias aparecem problemas.  Estrutura física, por exemplo.  Imagine que uma vez roubaram telhas da minha loja e eu só soube quando as chuvas chegaram. Uma grande tempestade quase destruiu todo o estoque de lingeries!

E problemas na fiação…

“O temporizador está atrasando, o espelho do provador quebrou, problemas de conexão… ”

Cinquenta bons especialistas sempre à mão e grana para uma emergência!!

É a lona do circo! Todo cuidado é pouco.

E tem problemas com seus funcionários. Porque eles têm problemas também. Precisam do seu apoio,  da sua liderança.   Um filho doente, um problema financeiro…  Você precisa ouvir e ajudar.  Eles são a sua truppe! São eles que vão precisar te apoiar nos momentos difíceis da empresa. Sem eles apoiando e dando o seu melhor mesmo nas crises aí é que tudo se complica mesmo de vez.

Depois tem ali o fiscal  que vem cobrar a  “caixinha” porque claro que faltou algum documento. Sempre falta. O nosso código tributário é um emaranhado de leis e procedimentos. Você quase sempre anda em círculos e sempre estará devendo alguma coisa.

E o prefeito… Aquele pessoal que não paga ingresso, que abusa da autoridade, que te oprime. Aqui são os sócios desonestos, os maus fornecedores, os golpistas, os bancos… As cláusulas leoninas.

Gente que corrompe.

E você nem reclama porque a Justiça é lenta como aquele delegado.  Um tempo que você não tem para dar.

Não é fácil.

Precisa muito amor, criatividade, paciência…  Tudo que não tem preço! Tudo que só você pode dar.
Porque é o seu negócio, o seu projeto, o seu sonho.

De frente para a bifurcação, distancie-se!
Compre um ventilador.  Sinta a brisa suave no rosto.
Deixe-se invadir por um grande sopro de paz.
Paz imensa não só de fazer o que gosta mas de saber fazer o que gosta.

Volte renovado.

É ou não é uma fábula?

Ainda hoje quando alguém me pergunta por quê eu continuei com a Via Libido, eu respondo, parafraseando Benjamim: “O gato mia, o rato come queijo e eu sou consultora de produtos eróticos.”

Anúncios