Mais um artigo de Mestre Sade do blog Crônicas do Mestre Sade , especial para o blog Crônicas de um Sex Shop.

                                                                   X-Men e o Fetiche

quadr8

No final da década de 1970 uma história em quadrinhos chamou atenção e marcou a juventude de muita gente graças não só às ótimas histórias, mas também ao apelo fetichista das roupas de algumas personagens. Trata-se dos X-men, de John Byrne e Chris Claremont.

quadr9Os X-men já tinham  mostrado que eram uma série revolucionária quando o herói Colossus matou o podersosíssimo vilão Protheus, mas a história seguinte, chamada de Saga da Fênix seria um verdadeiro arrasa-quarteirão em termos de criatividade.

A Saga da Fênix mostrava a personagem Jean Grey tendo flashbacks do que parecia ser uma encarnação passada dela, em que ela participava do Clube do Inferno, sendo esposa de um dos seus líderes, Jason Wyngarde. Na verdade, tratava-se de uma trama de um antigo inimigo dos X-men, o Mestre Mental, que pretendia dominar a heroína para usar seus poderes em interesse próprio.

Em busca de duas novas mutantes, os X-men acabam tendo de enfrentar o Clube do Inferno e uma nova vilã, a Rainha Branca. Desde sua primeira aparição, a personagem chamou atenção pelo visual: com cabelo curto loiro, capa de veludo branco, corpete, calcinha e uma longa bota que cobria quase toda a sua perna. No final, o resultado era fetiche puro, como aliás, seu nome sugeria.

quadr10Os heróis conseguem derrotar os oponentes e decidem entrar na sede do Clube do Inferno para descobrir porque estavam sendo caçados. Ao entrarem na sede do clube, acabam sendo derrotados depois que o Mestre Mental toma o controle da Fênix, que passa a se chamar Rainha Negra. Aí a mocinha inocente transforma-se num mulherão, com corpete, capa preta e botas. Na mesma história, ela trata outra personagem Ororo, como se fosse escrava. Para aumentar ainda mais o clima fetichista, os empregados do Clube do Inferno usavam todos roupas do século 18, com um toque de sensualidade para as mulheres.

A Saga da Fênix foi também a primeira a matar uma heroína de sucesso, a Fênix, que se suicida ao perceber que, sem total controle sobre seus poderes, poderia destruir planetas inteiros.

Mas o apelo fetichista seria lembrado para sempre pelos leitores. Tanto que o badalado Grant Morrison, ao assumir o título, transformou a Rainha Branca em uma das protagonistas justamente por achar que ela encarnava a sensualidade que ele tanto gostava na série.

Anúncios