Reencontrei um escravo com quem tive uma relação muito muito intensa anos atrás. Bem, eu sempre sou intensa. Em todas as relações.

Foram muitas idas e vindas até nos separarmos “pra nunca mais”. Foi assim.
Eu queria a sua submissão a todo custo. Impunha dias, semanas de castidade. Ele obedecia mas eu sempre tinha a impressão de que ele fazia por si, e não por mim. Meio louco de explicar mas eu sentia assim.

Ao final, ele praticamente não tinha mais ereção. E durante muito tempo, me senti culpada. Porque exigia demais, porque não fui paciente…

Por isso, mesmo separados, eu vez ou outra pensava nele. Se estava bem. Se conseguiu ter ereção. Mesmo que tenha me chateado algumas vezes com ele, jamais desejei isso.

Mas assim, aos trancos e barrancos,  nos separamos e cada um tratou de viver sua vida, outras histórias, pessoas, paixões. Mais de dois anos sem notícias…

De repente, um dia apareceu no meu whatsapp… Disse logo: “eu estou bem mas continuo sem ereção”. Eu pisando em ovos disse que estava feliz por ter notícias, que estava pensando muito nele ultimamente, e que sentia muito pelo problema da ereção mas que não era justo ele me culpar porque sempre o alertei dos riscos  e sempre foi consensual.

Ele replicou que de forma alguma me culpava. Que realmente sempre soube dos riscos… Eu suspirei aqui. Que bom! Detestaria carregar isso comigo!

E dai conversamos muito, ele me falou de terapias que tentou, até hipnose. Daí eu disse que ele seria mais feliz se aceitasse a sua condição. Fiz ele ver que havia se tornado uma pessoa melhor, mais calmo, que era sendo bem sucedido profissionalmente…Tudo isso era por não ter mais impulsos desesperados pra “comer” uma mulher.

E que seria ainda mais feliz se pensasse que fez aquilo pelas mulheres. Que dessa forma ele conseguiria sublimar e ser feliz completamente. Porque foi um presente que deu às mulheres. Não sei porque jamais acreditei que era por mim. E de repente ele disse: mas foi por uma mulher, foi por você…

Ele me disse tantas vezes no passado e eu nunca acreditei. Mas agora, distanciado, desinteressado, me dizer isso… Foi maravilhoso, uma surpresa linda! Só agora eu consegui acreditar. Que pena!

Lembrei dessa frase que li anos atrás  “… nunca perguntes por quem os sinos dobram, pode ser que eles dobrem por ti”

Anúncios