É difícil demais eu viajar.  Por vários motivos.

É tudo. Fala “viajar” já começa uns picos loucos de ansiedade.

Eu gosto de mudanças. Eu gosto de quando eu chego no outro lugar e penso que “poxa, que bom que eu vim”. Isso sempre acontece.

E preciso ver minha mãe. Preciso muito enchê-la de beijinhos. Acabou de fazer 93 anos! Imagine. Tão bonitinha. Tão velhinha. Uma delícia demais.

Mas  sim. Eu queria ser teletransportada…  Simplesmente aparecer em outra cidade.

Tem a loja. A Fiona, o Filé, a buganville.

É complicado.

Por isso, como é raro eu ir ao Sul Maravilha vejam que pode ser oportunidade única nos conhecermos pessoalmente. Vou com uma agenda apertada, poucos dias.

Estou conversando com algumas pessoas para nos encontrarmos no Dominatrix, dia 28/7.  Parece mais bem localizado e muitas pessoas me falaram bem.

Mas ainda vou confirmar e estou aberta a sugestões.

Só um evento mesmo que vou participar então preciso organizar direitinho mesmo.

Amaria se algum submisso se oferecesse para acompanhar-me em São Paulo. Precisa ter carro e  disponibilidade de uma ou duas horas por dia. Eu ia gostar. Quem puder me escreva ou me chame no zap.

O trânsito. Eu já morro de medo. Eu caio  muito fácil. É. De repente eu tropeço e caio. Não há nada de errado, eu só sou assim mesmo. Eu me desligo.

Minha mãe mora em Interlagos e eu devo alternar entre ali e a Vila Mariana.

E pensem em ir ao Dominatrix nessa data. 28 de Julho.

Lá estará tendo comemoração do 24/7. Aliás, calhou de ser justo essa data e é outro problema porque não me empolgo muito com a ideia de multidão. Me disseram que lota.

EDIT1: já pensei melhor e acho que não quero ir para um lugar que lota.

Pensando bem. Estarei bem.
Odeio São Paulo porque é muito longe.
Mas amo porque é minha terra natal.

Gosto de passear com o Roger pelas ruas onde cresci. Mostrar os lugares por onde andei. Onde estudei, onde trabalhei. Tudo esparramado por ali.