Priscila,  estou reproduzindo seu post aqui para responder no aberto jáque tem pontos que eu realmente gostaria de discutir. Este tema seria o meu próximo post.

“Mas o que quero levantar é o lado do submisso, que sinto às vezes esquecido ou deturpado. Realmente pelo que ando vendo a grande maioria dos subs, querem é uma sessão esporádica, portanto se encaixam perfeitamente na dominação profissional.”

Este um primeiro ponto.  É sobre quando uma Dominação Profissional é a melhor opção.

Alguns submissos sinceramente não desejam uma relação mais profunda com uma Dominadora. Eles são casados, ou namorados, ou simplesmente têm medo de uma relação nesse nível. É mais honesto da parte dele procurar uma Dominadora Profissional. Ou vai sair por aí  aprontando com Dominadoras que desejam um envolvimento mais profundo, cheios de evasivas e sumiços que jamais serão explicados.

Sabe, é muito cruel em relação à Dominadora porque muitos fingem querer um relacionamento quando o que querem é só uns tapinhas meia boca mesmo. E usam aqueles discursos impressionantes que eu comentei outro dia. Tudo muito falso, sem nenhuma verdade. A Dominadora acredita e vê seu reino aumentar, faz planos, e é tudo mentira e ele já sabe disso desde o começo. Vai daí, um dia ela ve o cara numa comunidade assim do tipo “evangélicos solteiros procuram namorada”. Ou um dia eles desaparecem. Sem dar nenhuma satisfação.

Mas tem subs, como eu, por exemplo, que nasceram subs, independente de ter ou não uma relação BDSM mantém uma postura submissa perante todas as mulheres, pois acreditam e tem plena consciência de sua inferioridade em relação a todas. Pessoas como eu buscam na verdade é uma relação na qual aja uma entrega total, uma relação de sonho como por ex. a da Senhora com o Roger.

Pois é. Mas não é uma relação de sonho. É uma relação real, construida com sacrifícios da parte dele e com boa vontade da minha parte. O problema maior é que as pessoas pensam justamente que é mágica ou sorte a nossa. E não é. É uma relação trabalhada todos os dias. Uma relação que amamos e preservamos acima de tudo.

E começamos com sessões que foram se tornando cada vez urgentes até a gente descobrir que tão prazeirosas quanto as sessões eram os longos papos que tinhamos pela internet ou depois de cada encontro. Isso tudo foi ficando grande sem a gente questionar. Ninguém pediu garantia de felicidade eterna, ninguém jurou amar pra sempre. Apenas fomos vivendo as coisas boas da vida. Como Eu pra ele, e ele pra Mim.

Hoje todos estão machucados. Dominadoras e submissos, ambos estão decepcionados. Porque contam mentiras sobre si próprios e se comprometem mais do que podem. Não se constrói uma relação Sm baseada em mentiras. Talvez em qualquer outra relação isso seja possível mas SM consome demais, exige demais.

E isso não tem nada a ver com Dominação Profissional. Ao contrário, se tivessemos um cenário mais maduro, com discussões menos hipócritas e mais realistas, haveriam menos submissos fazendo discursos poéticos e firmando falsos compromissos de fidelidade. Menos pessoas feridas. Mais felicidade para todos.

Vou contar um episódio acontecido comigo para exemplificar.
Faz pelo menos um ano que entrei em contato com uma Domme daqui e depois de muita conversa nos encontramos pessoalmente. Neste encontro ela falou que eu podia por no Orkut que estava em negociação. Desde então me fechei apenas a sua espera, e que as negociações evoluíssem. Nunca tivemos absolutamente nehuma relação BDSM. Somos amigas, mas nada mais. Nunca evoluiu para mais nada. Outro dia conversando ela me disse que precisava passear e que não tinha dinheiro. Contou que os subs eram mesmo engraçados, pois queriam muito dela, mas quanto a ajudar fugiam. Ouvi e fingi que não era para mim. Dias mais tarde ao conversarmos ela manifestou todo o seu descontentamento, pois a viagem melou por falta de grana e ninguém a ajudou.


Uma vez uma pessoa me disse que a mulher brasileira não sabe lidar com questões financeiras, que elas têm vergonha. Ora, bem, se essa dominadora acha que merece ser recompensada pelos submissos porque ela não fala isso diretamente?  Engraçado que quando eu assumi a Dominação Profissional tinha essa mesma amargura. Porque uma maioria esmagadora de submissos querem apenas sessões esporádicas. E a dominadora que se veste, que prepara uma história, um dungeon, não pode contar com eles pra nada. Eu  nem o telefone deles eu pegava. Porque queria muito que se sentissem seguros sobre sua vida pessoal e tal. Eu tinha muito respeito. E não sentia isso na contramão dos escravos que faziam sessões comigo. Displicentes, faltavam aos encontros depois vinham com desculpas podres e esfarrapadas.

E eu sou humana. Eu esperava respeito na troca. Respeito que não vinha. Quando eu os deixava, farta,eles faziam cenas, se derramavam em pedidos, rastejavam. E eu os aceitava de volta. Dai aprontavam de novo. Eu é que acabava me sentia usada. Opa! Tudo errado. Quem usa aqui sou eu. Quando comecei a cobrar me livrei de um monte dessas tranqueiras. “Ah, voce não pôde vir, meu bem?  Sem problemas: anote o numero da minha conta e me procure depois”  “Sim,sim, eu também to morta de saudade… Anotou o número da conta direitinho?”

Pronto. Nossa…Minha auto-estima elevou-se assombrosamente.

E é respeito mesmo. Porque o roger nunca teve grana mas sempre esteve presente. Eu sempre me senti apoiada por ele.

Talvez essa rainha não estivesse exatamente pedindo dinheiro para sua viagem. Talvez estivesse dizendo: “Eu sou uma Rainha,não sou? Então eu quero esse mimo…”   E elas inventam esses tributos ai…  Porque se sentem usadas. Eu vejo mais um lamento.

Nem me parece o discurso dela com aquele outro das Dominadoras que adoram encher a boca pra dizer que Dominadora Profissional é prostituta (que a mim pouco me importa) mas cobram os tributos.  Que sempre aparecem lá na frente quando o submisso já está envolvido, de forma quase não-consensual. Exceto obviamente os casos em que ela diz logo na entrada que cobra tributos.

Nenhum escravo tem obrigação de ajudar financeiramente uma rainha. Mas tem sim obrigação de dar retorno, de mostrar respeito sincero e isso vai muito além  daquela ajoelhadinha básica e da lambidinha na sola dos pés.

Se não sabem dar carinho, apoio, respeito. Paguem. Paguem sim.

* * *

Depois eu continuo…

Anúncios