Muito bem! Então essa semana completei 60 anos!!
Não é mais como fazer 15 ou 22…
Não tem a mesma alegria, os mesmos sonhos.
A gente comemorava…

E talvez por isso hoje especialmente hoje fui ali espreitar a infância e encher meu coração dos sonhos daquele menininha brincando com suas bonecas.

Procurei no google “bonecas dos anos 60”!
Reconheci o Boneco Machão.

Acho que o gosto por pênis molinho veio daí.
Acho lindo.

Hoje tem boneco com pintinho?
Acho que não. Coloquei “boneco com pênis” e só veio produto do mercado erótico. Não é a mesma coisa, rs.

Porque o boneco machão tinha esse pintinho inofensivo.
Tão bonitinho.

Já falei que a nossa família era bem pouca de dinheiro.
Mas especialmente nos natais nunca faltaram brinquedos.

Eu não ganhava as bonecas da moda. Não novinhas na caixa.
Mas eu ganhava depois de uma menina que ganhava muitas bonecas e a mãe dela sempre separava brinquedos para me dar.

Eu não tinha problema nenhum em receber mas nunca foram as mais queridas. Prosinha acho que tive umas 3. Porque lançavam ela com roupinha diferente, a menina ganhava mas enjoava logo.

A Prosinha era chata mesmo. Carinha enjoada. Era toda dura. Plástico duro. E dai você puxava uma cordinha nas costa dela e ela dizia: “Eu gosto tanto de você!” “Vamos cantar?” e cantava uma música bem chata.

E tive a Gui-Gui também. Você apertava os bracinhos dela e ela ria esquisito.
A mesma carinha enjoada e não tinha graça nenhuma.

Ficavam rolando pela casa cabeças rabiscadas, bracinhos solitários, às vezes um sapatinho.

A primeira mais querida foi um bebê. Muito feio. Mas muito feio mesmo, rs
E era meu preferido.
Sei lá, talvez só eu tinha um boneco feio como aquele.
Não lembro quem me deu mas eu amava o brinquedo na caixa…
Humm… O cheirinho de brinquedo novo.

No Natal eu pedi uma caminha grande pra ele.
E ganhei. Era o maior presente na árvore de natal e estava lindamente embrulhado.
Desejei que fosse o meu presente, o mais bonito da festa.

E era!!!

Depois ganhei uma que era eu acho a versão feminina do Machão.
Ela tinha cara de surfista, cabelo cor de laranja, com franjinha, usava um short vermelho e uma camiseta azul.

Eu achava ela linda. Era baixinha e gordinha.
Gostava tanto dela.


Depois, ah, a mais querida de todas.
A última boneca: a Valentina!!

Ela era uma Suzy mais barata. Eu tb tinha muitas bonecas suzy mas a Valentina era mais bonitinha. Era menor que a Suzy. Veio com botinha e um casaquinho branco.

Tinha também muitas bonecas de papel então vendo o modelo das roupinhas aprendi a fazer roupas para a Valentina. Minha mãe era costureira , né? Tinha muitos retalhos e então a Valentina era a boneca mais bem vestida do bairro!!

Você podia comprar os sapatinhos avulsos. E tinha salto alto, rasteirinha…

Não lembro quando eu cresci, o último vestido que lhe fiz.
Acalanto da infância. A paz daquelas horas distraídas.
Será que vem daí o gosto por feminização?
Possível.

Muitas vezes me percebo projetando sensações da infância.
Cabra-cega, gatomia, polícia e ladrão, rainha e escravo.
BDSM é brinquedo também.

Despir e vestir.
E quebrar claro, alguns brinquedos, só pra ver como é por dentro.